quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

INSPIRAÇÃO






Muitos anos se passaram e até parece que minha inspiração 
foi-se junto.
Nunca mais escrevi nem apareci...
Procurei minha inspiração, supliquei por seu retorno e nada.
Deixei a falta de tempo me engolir.
Pensando no lado bom das coisas, sendo otimista, pensei que ultimamente só estava refletindo, sem dramas. 
Só que não né gente.
Os dramas permanecem, a vida é um drama constante.
Os dias vão os outros vem... só que no final vão também.
Retorno garantido.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Gratidão!!!


Ao assistir ao programa - Cada coisa em seu lugar. Recebi uma inspiração, em algum momento do episódio a mediadora sugeriu a participante que fizesse um diário da gratidão, anotando todas as graças adquiridas durante o dia. 
Pensei: "Não custa nada." 
Desde então comecei a redigir o meu diário... imaginem... é um presente relatar os fatos que trazem alegria, valorizar o lado bom dos fatos, das pessoas e da vida. Bem melhor que viver reclamando e ser pessimista diante de tudo.
Sou grata por ter tido acesso a esse aprendizado.
Sou grata por poder reconhecer que sempre há algo de bom para acontecer.
Sou grata por ter pelo o que agradecer todos os dias.
A vida é um aprendizado constante.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Ele x Ela


Homens, difícil entendê-los!!!

domingo, 13 de janeiro de 2013

Mãe!

Mãe, 




Sou-lhe grata por tudo o que sou hoje. Mas também lhe culpo por todo descontrole emocional e por toda raiva que sinto.
Serei sempre grata pela forma como conduziu minha educação, sendo por várias vezes dura e fria; insensível e cruel. Mas odeio tudo que me faz sofrer.
Obrigada por ter trocado as palavras de incentivo e carinho pelos xingamentos e ofensas, talvez fizesse parte da sua pedagogia  de me fortalecer como pessoa. Foi inválida, pois passei grande parte da minha vida correndo atrás do amor das pessoas e tentando comprar o seu. Paguei caro e no fim saí sem nada.
Grande coisa ser uma mãe como vc que amedronta e aprisiona o ser, os sentimentos e as emoções; que tem preferências e faz opções irremediáveis. Que exclui e pune.
É triste sentir meu coração pulsar, agora, de dor e lamentação, triste saber que um dia não estarás mais por perto. Mas fazer o que? Foi assim que designaste nossa trajetória de mãe e filha.
Espero ser, no futuro, no decorrer de minha vida, uma mãe melhor que a que eu tive.
Espero, um dia, sentir meu coração pulsar de alegria.
Espero, amanhã, poder lhe perdoar e apagar essa dor dilacerante que sinto em meu peito.
Espero, hoje, ser mais amorosa com os que me rodeiam, pois ninguém tem culpa das feridas que tu me causaste.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Sobrevivendo!!!




Eu sobrevivi ao último dia do ano. Bravamente... Foi apenas um dia como outro qualquer e que assim seja sempre. Sem expectativas, sem idealizações, sem sonhos, nada de "Alice no país das maravilhas", nada de esperar por maravilhas. Não desapareci em meio as minhas lágrimas, mas também não chorei muito. Dormi logo.
Espero que o ano de 2013 possa ser assim também, um dia qualquer após o outro, com os pés fincados no chão, sem esperar nada de ninguém, sem dar nada a ninguém. Que se viva o presente que se vivencie a realidade. Que eu sobreviva bravamente.
Mas... eu ainda queria que alguém me amasse muito, incondicionalmente e de verdade. Tolice! Eis que surge um novo desafio: Me amar e não senti falta do amor de ninguém.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Dentro de mim!


Não domino matemática, química ou física.
Filosofia e história me dão desânimo, mal consigo chegar ao fim da página numa leitura.
Eu jurava que dominava português e o conteúdo para turmas de atividades, mas não domino.
Inglês passo longe, o curso de 5 anos só saiu do meu bolso.Passar em concurso público, hoje me parece ilusão.
Tudo muito difícil, me sinto muito burra...,mas o pior de tudo é o fracasso diante das lições da vida. Eu tinha certeza de que tinha aprendido, mas vejo que reprovo ano após ano. O ano se foi e eu fechei minha conta corrente com R$11,00. Não juntei dinheiro nem comprei nada significativo. O dinheiro simplesmente pagou contas e tentou comprar o amor de pessoas incompráveis e buscou agradar pessoas que são impossíveis de agradar.Eu já devia ter aprendido, afinal são mais de 3 décadas de aprendizado.
Sem contar minhas economias que somaram o abatimento de algumas prestações do  apartamento.Ajudo em tudo, pago muito e não faço questão de pouca coisa.Só que isso se torna uma pesada obrigação.
Comprei muitos e muitos medicamentos. De todas as cores, formas, tamanhos e para várias indicações, tudo para curar a dor que sinto, claro, sem sucesso, porque na verdade a cura encontra-se perdida dentro de mim, eu já devia tê-la encontrado. Sofreria menos.
Já devia não esperar nada de ninguém, porque tudo o que tenho eu mesma me dou. Me dei algumas coisas e me senti culpada depois, estranho...contraditório!
E finalmente as festas de fim de ano. Eu já deveria ter aprendido a não idealizar as coisas e as ações dos outros. Sempre idealizei um natal e uma festa de fim de ano feliz e em família. Quando pequena me lembro que estávamos em família, sempre nós cinco,às vezes com a vovó e às vezes em Valadares, mas eu não era tão feliz assim, mas reconheço o esforço de meu amado pai para nos proporcionar o cumprimento das tradições e o pagamento das leis do consumismo. A medida que fomos crescendo, as exigências também cresceram; em alguns momentos cozinhar a própria comida ficou sendo muito cansativo, então começamos a comprar, mas o sabor era artificial, fomos a restaurantes, mas o ambiente era impessoal. E esperei que um dia fosse bom...a família cresceu e finalmente minha mesa de 3 metros x 1.30 estava repleta de gente e comida, faltava alegria e uma companhia. Pensei que quando eu me casasse, seria diferente,mas ainda faltava alegria.Eu já devia saber que essas datas são apenas convenções sociais, que é apenas um dia como outro qualquer. Sofro à toa. Pensei que jamais estaria sozinha novamente, mas hoje dia 31,às 22:45, meu esposo está de serviço e eu estou sozinha aqui em minha casa, pelo menos tenho minha casa, a que eu sempre quis, no lugar que eu sempre sonhei.Talvez eu não devesse sentir  essa solidão avassaladora.Tristeza e solidão, ambas dentro de mim, mais uma vez.Vai ver elas esconderam minha cura.
Dói, dói e dói...eu já devia ter aprendido a não idealizar e já devia ter parado de sonhar. Devia ser menos empolgada, menos patética, demonstrar menos sentimentos, esperar menos...
Recebi convites para sair,mas se eu fosse só prorrogaria o ato de me derreter em lágrimas, eu sempre quis chorar até desaparecer.
Creio em Deus e agradeço pelo seu olhar misericordioso ao me ofertar a saúde que me fez levantar todos os dias. Pela força ao combater minha fraqueza, pela vontade contra ao desânimo, por finalmente gozar, por ter um coração mais frio capaz de controlar meu calor humano, solidariedade,compaixão e bondade...
Em 2013 darei alguns passos para trás com a pretensão de avançar mais uns três no futuro, conto Contigo.És o único que estás sempre por perto cuidando de mim e me carregando, afinal quando me sinto mais fraca mais forte estou.
Sem mais o que dizer...
Feliz 2103 pra mim... de verdade.

O cair da noite!






Muitas, milhares de estrelas brilham e compõem a majestosa noite que chega de forma intensa e imponente.
Muitas, milhares de estrelas misturam-se com o pisca pisca dos vagalumes.
Com os sentidos à flor da pele pode-se ouvir o coaxar dos sapos e o cricrilar dos grilos.
A escuridão é presenteada com a luz cintilante da lua em uma de suas fases.
O céu, agora estrelado, se transforma em um imenso tapete  transportando sonhos e contemplação.
Toda essa paz é mesmo um convite a um sono longo e tranquilo.
arhhhh....
Boa noite!