sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Gratidão!!!


Ao assistir ao programa - Cada coisa em seu lugar. Recebi uma inspiração, em algum momento do episódio a mediadora sugeriu a participante que fizesse um diário da gratidão, anotando todas as graças adquiridas durante o dia. 
Pensei: "Não custa nada." 
Desde então comecei a redigir o meu diário... imaginem... é um presente relatar os fatos que trazem alegria, valorizar o lado bom dos fatos, das pessoas e da vida. Bem melhor que viver reclamando e ser pessimista diante de tudo.
Sou grata por ter tido acesso a esse aprendizado.
Sou grata por poder reconhecer que sempre há algo de bom para acontecer.
Sou grata por ter pelo o que agradecer todos os dias.
A vida é um aprendizado constante.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Ele x Ela


Homens, difícil entendê-los!!!

domingo, 13 de janeiro de 2013

Mãe!

Mãe, 




Sou-lhe grata por tudo o que sou hoje. Mas também lhe culpo por todo descontrole emocional e por toda raiva que sinto.
Serei sempre grata pela forma como conduziu minha educação, sendo por várias vezes dura e fria; insensível e cruel. Mas odeio tudo que me faz sofrer.
Obrigada por ter trocado as palavras de incentivo e carinho pelos xingamentos e ofensas, talvez fizesse parte da sua pedagogia  de me fortalecer como pessoa. Foi inválida, pois passei grande parte da minha vida correndo atrás do amor das pessoas e tentando comprar o seu. Paguei caro e no fim saí sem nada.
Grande coisa ser uma mãe como vc que amedronta e aprisiona o ser, os sentimentos e as emoções; que tem preferências e faz opções irremediáveis. Que exclui e pune.
É triste sentir meu coração pulsar, agora, de dor e lamentação, triste saber que um dia não estarás mais por perto. Mas fazer o que? Foi assim que designaste nossa trajetória de mãe e filha.
Espero ser, no futuro, no decorrer de minha vida, uma mãe melhor que a que eu tive.
Espero, um dia, sentir meu coração pulsar de alegria.
Espero, amanhã, poder lhe perdoar e apagar essa dor dilacerante que sinto em meu peito.
Espero, hoje, ser mais amorosa com os que me rodeiam, pois ninguém tem culpa das feridas que tu me causaste.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Sobrevivendo!!!




Eu sobrevivi ao último dia do ano. Bravamente... Foi apenas um dia como outro qualquer e que assim seja sempre. Sem expectativas, sem idealizações, sem sonhos, nada de "Alice no país das maravilhas", nada de esperar por maravilhas. Não desapareci em meio as minhas lágrimas, mas também não chorei muito. Dormi logo.
Espero que o ano de 2013 possa ser assim também, um dia qualquer após o outro, com os pés fincados no chão, sem esperar nada de ninguém, sem dar nada a ninguém. Que se viva o presente que se vivencie a realidade. Que eu sobreviva bravamente.
Mas... eu ainda queria que alguém me amasse muito, incondicionalmente e de verdade. Tolice! Eis que surge um novo desafio: Me amar e não senti falta do amor de ninguém.